Categoria: impotência

Um a cada cinco homens faz uso indevido de estimulantes sexuais

Um a cada cinco homens faz uso indevido de estimulantes sexuais

Saiba mais: estimulante sexual benefícios

O desejo de melhorar o desempenho sexual leva jovens de 20 a 35 anos a utilizarem medicamentos para disfunção erétil de maneira irregular, ou seja, sem indicação de um especialista. É o que aponta o levantamento inédito realizado no ambulatório de sexualidade do Centro de Referência em Saúde do Homem, maior serviço público de urologia do Estado.

Curiosidade, vontade de aprimorar a performance sexual e o receio de falhar na “hora H” fazem homens saudáveis recorrerem a estimulantes sexuais
Curiosidade, vontade de aprimorar a performance sexual e o receio de falhar na “hora H” fazem homens saudáveis recorrerem a estimulantes sexuais
Foto: Getty Images
A unidade atende mais de 300 homens por mês com problemas sexuais e cerca de 20% deste total, afirma já ter feito o uso de estimulantes sexuais, pelo menos uma vez, sem prescrição médica. Na hora da consulta, as explicações são sempre as mesmas: curiosidade, vontade de aprimorar a performance sexual e, claro, o receio de falhar na “hora H”.

No entanto, o médico chefe do serviço de urologia do hospital, Joaquim Claro, explica que os comprimidos não apresentam resultados para grande parte dos homens. “A medicação não é instantânea e muito menos mágica como acreditam os pacientes. Se o indivíduo já é saudável, o pênis dele não vai ficar ainda mais rígido após o consumo. Portanto, não vai haver mudança no desempenho”, afirma.

O médico alerta que os estimulantes sexuais podem causar dores de cabeça e musculares, diarreia, alergias, visão dupla e, em casos mais severos, até cegueira. Os pacientes cardiopatas também não podem ingerir este tipo de medicamento, considerado um vasodilatador, principalmente sem supervisão médica. Somente o especialista pode diagnosticar a necessidade de uso e, ainda, o melhor método, conforme critérios como idade, histórico familiar e condição financeira.

“Os efeitos colaterais são perigosos, mas há ainda o risco da dependência psicológica. O homem passa a supervalorizar a droga e liga o seu próprio desempenho sexual ao uso do remédio. Esta atitude gera um grau elevado de ansiedade e o paciente fica com medo de não ter mais relações satisfatórias se não contar com a ajuda medicamentosa”, destaca Claro.

A prática de atividade física é uma maneira saudável e eficaz de melhorar a atuação na hora do sexo, segundo os médicos. Os exercícios contribuem com o condicionamento físico, melhoram a circulação sanguínea e aumentam resistência trabalhando as regiões do peito, ombros, braços e pernas, além de elevar a autoestima.

Conheça outras atitudes importantes para manter uma vida sexual ativa, segundo especialistas do Hospital do Homem:

Proteja o seu corpo: Use camisinha nas relações sexuais, evitando o contato com as doenças sexualmente transmissíveis. Não deixe de visitar o médico pelo menos uma vez ao ano para realização de check-up e dos exames preventivos.

Converse sobre sexo: Tenha um bom diálogo com a seu parceira, pois a confiança é importante para que o sexo satisfaça plenamente o casal.

Prepare o ambiente: A pressão psicológica e os problemas do dia a dia podem atrapalhar o desempenho. Por isso, é importante escolher o local e o momento ideal propício para a relação.

Esqueça os mitos: Segundo estudos, o tempo médio de uma relação é de 15 a 20 minutos. Saber disso é um dos primeiros passos para que o casal consiga diminuir as suas próprias expectativas.

A energia sexual de uma mulher da mesma natureza que a do homem?

Não. Acreditamos que a energia do homem é yang enquanto que a da mulher é yin. Essas duas energias primordiais, masculinas e femininas, governam o universo como um todo. Ambos estão presentes em homens e mulheres, mas o homem tem mais yang e a mulher, mais yin. Fazer amor permite que você circule as duas energias entre o homem e a mulher, para alcançar um melhor equilíbrio entre yin e yang em todos. No tao, o prazer de ambos os parceiros é igualmente importante, e a multiorgasmia permite que eles alcancem um nível de intimidade cada vez mais alto. Mas as técnicas que aumentam a energia sexual são diferentes para todos. Por exemplo, enquanto o homem deve manter seu esperma, a mulher deve ejacular várias vezes para aumentar seu yin, o que, na medicina energética chinesa, é uma energia da água. É claro quando as mulheres experimentam excitação: elas suam mais que os homens. No Ocidente, muito poucas pessoas sabem que uma mulher pode ejacular. Mas no tao, recomenda-se estimular seu clitóris e seu ponto G *, e não penetrá-la antes que ela tenha emitido água três vezes.

* Nomeado após as iniciais do médico Ernest Grafenberg, que o descreveu na década de 1950, o ponto G ficaria cerca de quatro centímetros dentro da vagina, na parede anterior, logo atrás do osso púbico. .

A energia sexual está disponível fora dos relacionamentos sexuais?

Absolutamente. E é muito útil quando você precisa gerenciar, por exemplo, o trabalho extra. Convocar a excitação sexual é muito simples: basta olhar para uma mulher bonita ou um homem sedutor, na realidade ou em uma revista, ou se perder em suas fantasias. Então, acalme sua mente e tente conter a excitação para enviá-la de volta ao cérebro e impulsionar sua atividade. Muitas empresas reclamam que seus funcionários visitam sites charmosos na Internet. Eles estão errados. O que acontece primeiro por uma perda de tempo e dinheiro na verdade aumenta a capacidade de trabalho. O Ocidente há muito se ofende com o interesse de Tao pela sexualidade. Ele concentrou seus esforços nas produções da mente e nos beneficiamos muito de suas invenções tecnológicas. Pouco a pouco, ele se torna consciente do valor do nosso conhecimento, que é mais esotérico. Acho que somos melhores quando podemos desfrutar de ambos.

Homens: orgasmo sem ejaculação

O “kung-fu” sexual (literalmente, “prática sexual”) ensina como manter a saúde se tornando multiorgasmo. Para os homens, é para suprimir a ejaculação para espalhar a sensação de prazer da área genital para o cérebro e depois para o órgão enfraquecido. A realização exige um pouco de treinamento …

O homem deve fortalecer seu músculo pubococcígeo (PC), contraindo-o várias vezes ao dia ou tentando levantar uma toalha colocada em seu pênis. Durante a relação sexual, a contração desse músculo permitirá que ele evite a ejaculação. Ele então se esforçará para elevar a energia sexual assim conservada em direção ao cóccix e depois ao sacro, à base e ao topo do crânio.

Como? Mentalmente, visualizando o fluxo de energia ao longo da coluna até sentir formigamento. Quando o canal traseiro está sob controle, ele pode tentar diminuir a energia através do canal frontal, entre as sobrancelhas, ao longo do nariz e da garganta, em direção ao plexo solar e ao órgão falido.

Conheça o melhor estimulante sexual masculino, o Big Size.

Mulheres: o prazer multiplicado

 Na China taoísta, a “Tigresa Branca” era uma mulher iniciada em práticas sexuais que lhe permitiria alcançar a imortalidade. Mantak Chia recomenda que as mulheres de hoje procurem prazer. Ponto forte: a (re) descoberta do seu “orgasmo do cartão digital”, isto é, seus pontos sensíveis, variáveis ​​de um para o outro.

 Durante as relações sexuais, ele aconselha-os a encorajar o parceiro a estimular o clitóris (o pênis não o atinge na penetração) e a preferir as posições em que o pênis entra em contato com o ponto G (deitado no chão). barriga ou sentado no homem). Para aumentar a frequência e a intensidade dos orgasmos e sugar sua energia sexual do clitóris para o cóccix, a coluna, o cérebro e o resto do corpo, eles treinam o músculo pubococcígeo (PC).

 Eles aprenderão a produzir movimentos de contração em torno do sexo de seu parceiro, introduzindo um ovo de jade em sua vagina e fazendo-o subir e descer. O exercício final consiste em uma “grande aspiração” para dois, homens e mulheres entrelaçados face a face, contraindo o músculo PC para trocar sua energia sexual.